"E é por isso que eles roubam seu você de você mesmo... Para que você não descubra que é o único que pode se valorizar... E para que não se agarre ao seu próprio interior, como sua última esperança de ser compreendido e amado... Para que não se negue a negar-se em prol do modelo concebido!”
 - Mikky. Em: "Venosi L'absenti", por Hime-chan
Sedento pelo rubor desta tal pele humana, cálida e macia;
Eu apunhalo meu eu como se para alcançar o outro.

A harpa encantadora entoada palia meu plangor interno;
enquanto meu ser é, graciosamente, invadido pelo outro;
E, Através da jubilosa brisa seduz-me.

Observando a fronteira entre eu e o mundo se dilacerar;
Como um gás que amolga-se a seu receptáculo, meu eu se dissipa.

Que porção da mente habitante desta calota cranial sou eu?

Enquanto a sociedade deglute-me, eu regurgito minha alma;
E aprecio esta solidão de mim mesmo.
Estuprado pelo húmus social meu espírito se angustia;
E encontra a própria face gravada na muralha que eríge.

A orquestra arrepiadora da solidão ressoa seus tons avernos;
enquanto, do requiem alheio meu espírito exime-se
E Despe-me de toda a implantada efígie.

Despetalando-se violentamente do Grande Tear;
Como um convoluto novelo a se desfiar, meu eu se aniquila.

Sem o outro, a quem hei de ser-me? A quem deverei fundamentar meu eu?

Enquanto aprisiono-me, ceifo o propósito de a mim ser com calma;
Com meu espírito, novamente, ermo.

Quem há de ser eu, imerso nesta eterna luta contra a sociedade? Imerso em tantos outros eus?


Adentre-se, mescle-se, apodreça a fraqueza em tua alma e floresça em um novo eu de partes selecionadas, amadurecendo tua mente em um fruto a teu gosto..


Pergunte-me algo via 'Tumblr':

xSiga-me no Facebook ♥